De acordo com o Relatório de Diagnóstico 2020 do Projeto MigraCidades – Aprimorando a Governança Migratória no Brasil, entre 2000 e 2020, em Umuarama, 572 migrantes internacionais obtiveram o Registro Nacional Migratório como habitantes do município.

Os dados do Sistema de Registro Nacional Migratório (Sismigra) indica ainda que, entre abril de 2018 e agosto do ano passado, a cidade recebeu 21 venezuelanos por meio da estratégia de interiorização do governo federal (Operação Acolhida).

Por meio de parcerias com diversas instituições, a administração municipal realiza ações como acesso aos direitos, saúde, educação, assistência e proteção social, ao mercado de trabalho e acolhimento de vítimas de violência de gênero. Outra prática positiva do governo local é a parceria com a Cáritas Brasileira – Regional do Paraná, no acolhimento e assessoria a migrantes estabelecidos no município.

Por essas e outras ações é que Umuarama foi uma das únicas cinco cidades do Paraná a serem certificadas pelo MigraCidades (as outras são Foz do Iguaçu, Campo Largo e Curitiba). A certificação, de acordo com a secretária municipal de Assistência Social, Izamara Amado de Moura, é a confirmação de que as iniciativas da administração municipal em prol dos migrantes têm sido “muito positivas”.

“O envolvimento do governo municipal na melhoria da integração dos migrantes e na construção da coesão social, além de contribuir para a construção e gestão de políticas migratórias, mostra seu caráter humanitário, o que deve sempre ser valorizado e destacado”, disse.

SOBRE O DIAGNÓSTICO

O diagnóstico do MigraCidades é um documento com informações dos municípios inscritos no projeto, respondendo questionamentos sobre a governança migratória. Ele aponta prioridades para se desenvolver em cada cidade, envolvendo políticas de saúde, educação, assistência social e trabalho.

A coordenadora do Cadatro Único e Programa Bolsa Família (PBF) da Secretaria de Assistência Social, Tania Marques, responsável pelo projeto, explica que o município recebeu a certificação de conclusão e o selo MigraCidades em fevereiro/2021. “Já nos inscrevemos novamente para 2021 e continuaremos comprometidos em facilitar a migração e a mobilidade ordenada, segura, regular e responsável das pessoas, por meio de políticas de migração planejada e bem geridas”, reforçou.

Compartilhe: